21.11.17

Novo Observatório Aula Virtual e Democracia: A POLÍTICA CIENTÍFICA, TECNOLÓGICA

Novo Observatório Aula Virtual e Democracia: A POLÍTICA CIENTÍFICA, TECNOLÓGICA

A POLÍTICA CIENTÍFICA, TECNOLÓGICA & SOCIEDADE: PARA ONDE VAI A UNIVERSIDADE?



MESA REDONDA ABERTA NA FUP DIRECIONADA PARA COORDENADORA/ES DE PROJETOS E PROGRAMAS DE EXTENSÃO - PEAC, E LANÇAMENTO DE LIVRO

Organização: Colegiado de Extensão - Área de Ciências Sociais e Humanas e NPCTS - Núcleo de Política Científica, Tecnológica e Sociedade - Altos Estudos CEAM/UnB

DIA: QUARTA FEIRA 22.11.17
HORA: 11H-13h
PEQUENO AUDITORIO (AO LADO DA SECRETARIA ESCOLAR) PRÉDIO ANTIGO DA FUP


A POLÍTICA CIENTÍFICA, TECNOLÓGICA & SOCIEDADE:  PARA ONDE VAI A UNIVERSIDADE?


O  momento exige o diálogo sobre as alternativas concretas construídas nos últimos 15 anos para geração de modelos diferenciados de ensino, pesquisa, extensão quando se trata de colocar em prática as demandas sociais mais amplas da sociedade pela inclusão na universidade.
O direito à ciência e tecnologia é uma destas exigências contemporâneas a que docentes, pesquisadore/as e estudantes não podem deixar de tomar como de primeira ordem entre as prioridades academicas e intelectuais. Há um senso aparentemente comum em torno desta reivindicação:  quem não quer a democratização da política científica & tecnológica?
Contudo, há diferentes posições que emergem a partir da crise gerada em 2016 pelo arranjo de poder que tenta entre outras medidas, criar a falsa concepção de que apenas as vinculações entre Universidade-Empresas são a prioridade. Propõe como cenário futuro realizar a transferência de recursos  da Educação, Ciência & Tecnologia no País (cerca de 60 bilhões de reais) para fundos privados, ou sob gestão com forte influência empresarial para atrair a pesquisa científica. Inverteu-se o problema: o empresário que não tem o hábito de investir em P&D, passará a ter recursos para atrair mestres e doutores de física, química, biologia, engenharias, áreas tecnológicas?Entender este quebra-cabeça só é possível através de uma minuciosa análise de dados e estatísticas oficiais em séries históricas a fim de alcançarmos uma análise-diagnóstico sobre as relações Universidade-Governo-Empresas e as relações entre a Universidade e a Sociedade.Nesta mesa redonda serão comentados casos de experiencias significativas  por meio de licenciaturas e bacharelatos interdisciplinares no Brasil, a partir do REUNI nos anos 2000-2015.
 
Participantes: 
Márcio Florentino (Diretor Técnico do DEX UnB, ex-decano da Univ. Federal do Sul da Bahia);
Marcelo Bizerril (Diretor da Faculdade UnB Planaltina);
Ricardo T. Neder (Área de Ciências Sociais e Humanas da FUP e Coordenador do Nucleo Política Científica tecnológica & Sociedade do CEAM).

Obs.: Após a mesa redonda será lançado o livro (abaixo) dos colegas Ricardo Neder (FUP) e  Raquel Moraes (Faculdade de Educação, Cátedra UNESCO de EAD).

O trabalho publicado pelos grupos de pesquisa (CNPq/UnB) Observatorio do Movimento pela Tecnologia Social na América Latina (FUP/UnB) e Grupo de Estudos e Pesquisas História, Sociedade e Educação no Brasil – GT UnB/DF,  tem o seguinte sumário:
Apresentação prof. Titular de Politica Cient. e Tecnologica UNICAMP - Renato Dagnino 1. Critica aos conceitos de ciência e tecnologia. 2. Educação, trabalho e tecnologias no capitalismo informacional. 3. As inconsistências do inovacionismo na universidade. 4 As relações universidade-governo-empresas. (A. Nova produção de conhecimento – NPC; Tripla hélice – TH; Abordagem transversalista da ciência - ATC e O Pensamento Latino-americano Ciência, Tecnologia, Sociedade – PLACTS. 5. A Perspectiva Placts (Pensamento Latinoamericano Ciência, Tecnologia, Sociedade) e os estudos CTS latinoamericanos; 6.Diálogo (I) A Universidade e os Operadores tecnológicos; 7. Diálogo (II) Os operadores tecnológicos e a Democratização do Projeto Tecnológico; 8. Um Cenário Futuro 9. Diálogo (III) A universidade e a Política de C&T diante da interdisciplina das Novas ciências: contradições & soluções. Conclusão. Posfácio - Rogério Ferreira - A Experiência emergente das novas universidades pós-Reuni: o caso da Universidade Sul da Bahia.

Organização: Colegiado de Extensão - Área de Ciências Sociais e Humanas e NPCTS - Núcleo de Política Científica, Tecnológica e Sociedade - Altos Es

23.10.17

Novo Observatório Aula Virtual e Democracia: "Para uma abordagem CTS (ciência, tecnologia, sociedade) que integre desenvolvimento social & tecnologia no ensino, pesquisa, extensão-inovação na UnB"

"Para uma abordagem CTS (ciência, tecnologia, sociedade) que integre desenvolvimento social & tecnologia no ensino, pesquisa, extensão-inovação na UnB"

ter. dia 24.10.17

14-16h

Mesa-redonda com lançamento de livro

"Para uma abordagem CTS (ciência, tecnologia, sociedade) que integre desenvolvimento social & tecnologia no ensino, pesquisa, extensão-inovação na UnB"

Participantes:

Profa. Dra. Maria Emilia M. T. Walter – Decana de Pesquisa e Inovação da UnB
Profa. Liza Andrade - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Prof. Dr. André Drummond - Departamento de Ciência da Computação - Instituto de Ciências Exatas/ UnB
Profa.Dr Raquel Moraes - Área de Educação e Tecnologia da Faculdade de Educação.

Prof. Dr. Ricardo T. Neder – Coordenador do Núcleo Política científica, Tecnológica & Sociedade (Altos Estudos CEAM) e da Incubadora de Cooperativas Populares ITCP UnB.

RESENHA DO LIVRO

“O livro que vocês têm em mãos é oportuno, corajoso e proveitoso. É oportuno, porque se refere ao duro em bate em curso no Brasil sobre a política cognitiva (que engloba a de Educação e a de Ciência, Tecnologia e Inovação) que atinge as instituições de ensino e pesquisa públicas. É corajoso, porque diz coisas que nenhum dos combatentes quer ouvir. E é proveitoso, porque pode fortalecer os argumentos de uma terceira posição ainda pouco presente no debate que, censurando os atuais dirigentes políticos que representam o interesse da classe proprietária, e compreendendo os reclamos da comunidade de pesquisa (e resignadamente endossando-os), há tempo clama por uma autocrítica. (Renato Dagnino (Prof. Titular de Política Científica e Tecnológica, Departamento de Política Científica e Tecnológica – Instituto de Geociências – Universidade de Campinas)


Quais os rumos da universidade diante da política científica e tecnológica na conjuntura de transição da democracia para um regime de exceção midiático-judicial- parlamentar? Para apresentar um panorama das tendências regressivas contra as quais lutam os movimentos docentes e estudantis na universidade, as abordagens discutidas neste livro colocam juntas a filosofia pedagógica freiriana, associada com a abordagem da pedagogia histórico-crítica (PHC), articuladas, por sua vez, com duas correntes que lidam com as novas ciências e as tendências de mudanças tecnológicas: os Estudos Sociais da Ciência & Tecnologia em linha de aproximação com a Educação CTS (Ciência, Tecnologia, Sociedade) hispanoamericana.

O ponto central deste livro é problematizar as chamadas “novas ciências” (microeletrônica, automação industrial, tecnologias de informação e comunicação, computação, cibernética, ciências dos materiais, genética, biologia evolutiva; neurociências, engenharia genética, análise de sistemas). Por que nosso/as colegas das Ciências Sociais e as Humanidades não tem recorrido (mais amplamente) aos Estudos e a educação de ciências CTS para criar as pontes da formação científica dos Tecnológos e Engenheiros na universidade?

Entretanto, este diálogo encontra-se em marcha discreta e subliminarmente na universidade brasileira: os Estudos e a Educação científica CTS tem sido um dos segmentos que mais cresce no campo dos estudos da complexidade próprio do estudo das correlações entre Ceincia, Tecnologia, Sociedade e a universidade: dezenas de programas surgiram nos ultimos 15 anos (programas como Tecnologia e Sociedade Univ. Tecnológica Fed. Parana) Ciência, Inovação e Tecnologia para Amazônia/ UFAC; Ciência, Tecnologia e Sociedade/UFSCAR; Desenvolvimento Humano e Tecnologias/Unesp/Rio Claro; Desenvolvimento, Tecnologias E Sociedade/ UNIFEI; Difusão Conhecimento/IFBA (consórcio); Divulgação Científica e Cultural/ Unicamp; Estudos Interdisciplinares sobre a Universidade/ UFBA; Gestão do Conhecimento e da Tecnologia da Informação/ UCB; História da Ciência/ PUC/SP; História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia/ UFRJ; Inovação Tecnológica/ UFTM; Política Científica e Tecnológica/UNICAMP; Sociobiodiversidade e Tecnologias Sustentáveis/ UNILAB; Tecnologias de Processos Sustentáveis/ IFG; Tecnologia e Gestão da Inovação/ UNICHAPECÓ; Tecnologia, Ambiente e Sociedade/ UFVJM; Tecnologias para o Desenvolvimento Sustentável/ UFSJ; Ciência e Tecnologia Ambiental/ UFGD; Ciência Tecnologia e Inovação em Agropecuária/ UFRRJ; Ciência, Gestão e Tecnologia da Informação/ UFPR; Ciências Aplicadas a Saúde/ UFG; Ciências e Saúde/ FUFPI; Ciências e Tecnologias em Saúde/ UNB; Processos Tecnológicos e Ambientais/ UNISO. (Levantamento dos proponentes nos registros da Plataforma Sucupira – Capes, até 2015)
--